In Payments

O Brasil é um dos mercados de comércio eletrônico mais avançados da América Latina, com consumidores gastando 17% de seu consumo privado pessoal em compras online, de acordo com a Americas Market Intelligence (AMI), enquanto a média para a América Latina é de apenas 8%. A análise da AMI também aponta que o e-commerce no Brasil representa 18% da participação do varejo em 2022.

Dito isso, os varejistas brasileiros são os mais sofisticados e capazes quando se trata de entrar em áreas marginais de e-commerce e produtos físicos, inclusive alavancando novos canais, por exemplo, redes sociais e aplicativos.

Para complementar este artigo, leia Infográfico: Quais são as preferências de pagamento dos brasileiros que fazem compras pela internet.


The LatAm E-Commerce Datapack, 2020-2024

The LatAm E-Commerce Data Library

Strategic data on market volumes, purchase habits, payment methods, demand drivers and more for +15 countries


Panorama do mercado

De acordo com o relatório NIQ Ebit Webshoppers (45ª edição), as vendas do comércio eletrônico cresceram 27% no Brasil no 2021, alcançando a marca de R$ 183 bilhões ou US$ 33,8 bilhões. Quase 13 milhões de novos consumidores começaram a comprar online no Brasil, totalizando 87,7 compradores online no Brasil durante 2021.


Na Americas Market Intelligence (AMI), adotamos uma metodologia diferente da usada pela Ebit/Nielsen para calcular o tamanho do mercado, abrangendo todas as verticais de comércio, compras via PC, celular e aplicativo, transações em sites internacionais de comércio eletrônico usando cartões emitidos localmente e todas as transações não presenciais com cartões, como pagamentos recorrentes.

Análises da AMI indicam que, em 2021, o mercado brasileiro de comércio eletrônico registrou mais de US$ 153 bilhões em vendas. O crescimento do e-commerce em 2021 no Brasil foi de 38%.


Projeções para o mercado brasileiro de comércio eletrônico

Segundo a análise da AMI, o mercado de comércio eletrônico do Brasil registrará um crescimento de 22% entre 2021 e 2025, alcançando US$ 341,7 bilhões.

Até o final de 2022, o comércio eletrônico no Brasil atingirá US$ 197,6 bilhões em vendas, segundo a AMI, 29% de crescimento.

Produtos mais comprados por brasileiros no comércio eletrônico

Segundo a Webshoppers, esses foram os 5 produtos mais comprados no comércio eletrônico no Brasil em 2021 (em termos de pedidos):

  1. Casa e decoração
  2. Perfumaria e cosméticos
  3. Moda e acessórios
  4. Electrodomésticos
  5. Alimentos e bebidas

Quanto aos Alimentos e bebidas, essa categoria “destacou-se com um crescimento significativo e ganhou importância em 2021”.


Por outro lado, um relatório da Neotrust mostra que durante o segundo trimestre de 2022 as categorias mais vendidas no Brasil (em termos de pedidos) foram:

  1. Moda e acessórios
  2. Beleza e perfumaria
  3. Saúde
  4. Alimentos e bebidas
  5. Utilidade doméstica

A categoria “Saúde” apresentou um crescimento de pedidos de 125% em relação a 2021, o maior. Moda e acessórios, bem como utilidade doméstica, tiveram crescimentos negativos de -3,7% e -11%, respectivamente.


Meios de pagamento mais utilizados para comércio eletrônico no Brasil

Segundo a Global Payments Report 2022, esses foram os meios de pagamento mais usados em compras de comércio eletrônico no Brasil no 2021:

  1. Cartão de crédito (45%)
  2. Carteira móvel/digital (16%)
  3. Cartão de débito (14%)
  4. Pós-pago (11%)
  5. Transferência bancária (11%)
  6. Outras formas de pagamento (3%)
  7. Débito direto (1%)

A AMI adota uma metodologia diferente para realizar essa análise e, segundo a empresa, os meios de pagamento mais usados em compras de comércio eletrônico no Brasil foram:

  1. Cartões de crédito (57%)
  2. Pix (16%)
  3. Carteiras digitais (12%)
  4. Boleto bancário (11%)
  5. Cartões de débito (2%)
  6. Transferências bancárias (1%)
  7. Outras formas de pagamento* (1%)

*Inclui cartões-presente, pagamento na entrega e outros métodos de pagamento diversos.



6 Megatrends We Can Expect in LatAm Payments in 2022

6 Megatrends We Can Expect in LatAm Payments in 2022

The massive changes that payments professionals should plan for


Dispositivos usados ​​para fazer compras online no Brasil

Webshoppers’ data indicates that mobile devices accounted for 59% of the e-commerce orders in Brazil in 2021, while 41% of e-commerce orders were made by desktops.

Also, according to Webshoppers, by the end of 2021, e-commerce orders made by mobile devices accounted for 53% of total volume, which represented a 32% growth in comparison to 2020.

A análise da AMI indica a seguinte desagregação de dispositivos usados para realizar compras de comércio eletrônico no Brasil:

  • 65% das compras de comércio eletrônico no Brasil em 2021 foram feitas com dispositivos móveis
  • 35% das compras de comércio eletrônico no Brasil em 2021 foram feitas com um desktop

Projeções da AMI mostram uma mudança nesses percentuais até 2022:

  • 69% das compras de comércio eletrônico no Brasil em 2022 serão feitas com dispositivos móveis
  • 31% das compras de comércio eletrônico no Brasil em 2022 serão feitas com um desktop

Informações importantes sobre os hábitos dos consumidores no Brasil

De acordo com dados da Webshoppers, esses são alguns dos fatores mais importantes a serem considerados em relação aos compradores brasileiros do comércio eletrônico:

  • A Categoria Alimentos e Bebidas apresentou crescimento significativo no e-commerce brasileiro em 2021, crescendo 107% em pedidos versus 2020.
    • Praticidade e preços especiais são os principais impulsionadores de compra dos aplicativos de delivery de supermercados. 69% dos brasileiros preferem comprar pelo aplicativo de delivery porque “não preciso sair de casa”, e 55% dos brasileiros preferem comprar pelo celular porque recebem promoções especiais.
    • Frete grátis (82%), cupons de desconto (67%) e descontos de preço (62%) são as promoções mais preferidas entre os usuários brasileiros do aplicativo de entrega.

  • O valor médio gasto por pedido no e-commerce Brasil é de R$ 441 para consumidores recorrentes e R$ 454 para novos consumidores. Especificamente no mobile commerce, o ticket médio do e-commerce no Brasil é de R$ 398.

  • Motores de busca, redes sociais e digitação do nome da loja são os principais caminhos para as lojas de e-commerce no Brasil, mas diferem entre os segmentos. Construção e ferramentas, por exemplo, foram alcançadas principalmente por meio de buscadores (35% dos pedidos). Moda e acessórios foram alcançados principalmente pelas redes sociais (29%).

Outros fatores a considerar

Análises da AMI oferecem outros dados importantes a serem considerados em relação às compras de comércio eletrônico no Brasil:


The LatAm E-Commerce Datapack, 2020-2024

The LatAm E-Commerce Data Library

Strategic data on market volumes, purchase habits, payment methods, demand drivers and more for +15 countries


Indo além

Para saber mais sobre o e-shopping brasileiro, uma pesquisa recente da AMI pode ser útil. Nossa LatAm e-commerce Data Library contém dados abrangentes sobre o Brasil. Clique aqui para saber como solicitar uma cópia.

Para dados mais específicos, a AMI é especializada em pesquisas e inteligência de mercado para os mercados de comércio eletrônico do Brasil e da América Latina em várias áreas essenciais:

  • Identificar os principais meios de pagamento usados nos mercados de comércio eletrônico do Brasil
  • Ajudar comerciantes a entender o potencial do comércio eletrônico internacional no Brasil e as práticas que podem aumentar as vendas
  • Usar a inteligência artificial e o aprendizado de máquina para ajudar comerciantes de comércio eletrônico com foco no Brasil a analisar os dados dos seus clientes

Entre em contato conosco se sua empresa tiver necessidades específicas de dados, pesquisas de mercado ou inteligência de mercado em relação ao mercado de comércio eletrônico da América Latina ou de mercados específicos como Mexico, Argentina, Chile, Colômbia, e Peru.


Keep up to date with our Payments and Crypto insights

Recent Posts