In Payments

Nossa 2020 Major Markets Forecast destacou uma série de pontos positivos da economia brasileira, apesar dos desafios enfrentados no país e da polarização gerada na população pelo presidente Bolsonaro.

Embora não tenhamos mencionado especificamente o comércio eletrônico na apresentação por termos concentrado o foco em setores mais amplos, não há dúvida de que esse é um dos principais pontos positivos deste e do próximo ano.

Panorama do mercado

De acordo com o relatório Webshoppers (40ª edição), produzido pela Ebit/Nielsen, as vendas do comércio eletrônico cresceram 12% no Brasil no primeiro semestre de 2019, alcançando a marca de R$ 26 bilhões ou US$ 6,2 bilhões. No primeiro semestre de 2019, foram realizados mais de 65 milhões de pedidos em sites de comércio eletrônico no Brasil, um aumento de 20% em relação a 2018.

Em 2018, a Ebit informou que as vendas de comércio eletrônico no Brasil totalizaram R$ 133 bilhões ou US$ 32 bilhões, representando um crescimento de 18% frente ao resultado de 2017. Segundo projeções da Ebit para o Brasil, as vendas de comércio eletrônico B2C – o que exclui vendas de produtos usados em marketplaces, bilhetes de viagem e ingressos de eventos – alcançarão R$ 61 bilhões ou US$ 14,6 bilhões.


Na Americas Market Intelligence (AMI), adotamos uma metodologia diferente da usada pela Ebit/Nielsen para calcular o tamanho do mercado, abrangendo todas as verticais de comércio, compras via PC, celular e aplicativo, transações em sites internacionais de comércio eletrônico usando cartões emitidos localmente e todas as transações não presenciais com cartões, como pagamentos recorrentes. Dessa forma, análises da AMI indicam que, em 2018, o mercado brasileiro de comércio eletrônico registrou mais de US$ 36 bilhões em vendas.


Projeções para o mercado brasileiro de comércio eletrônico

Segundo a análise da AMI, o mercado de comércio eletrônico do Brasil registrará um crescimento de 99% entre 2018 e 2022, alcançando US$ 65 bilhões.


Produtos mais comprados por brasileiros no comércio eletrônico

Segundo a Ebit, esses foram os 10 produtos mais comprados no comércio eletrônico no Brasil em 2018 (em termos de pedidos):

  1. Perfumes, cosméticos e produtos de saúde
  2. Roupas e acessórios
  3. Decoração de casa
  4. Eletrodomésticos
  5. Livros e assinaturas
  6. Telefones
  7. Artigos esportivos
  8. Produtos de informática
  9. Alimentos e bebidas
  10. Eletrônicos



Em termos de volume total de vendas no comércio eletrônico no Brasil em 2018, os dados da Ebit mostram uma ordem diferente dos principais produtos:

  1. Eletrodomésticos
  2. Telefones celulares e acessórios
  3. Decoração de casa
  4. Produtos de informática
  5. Eletrônicos
  6. Perfumes, cosméticos e produtos de saúde
  7. Roupas e acessórios
  8. Artigos esportivos
  9. Acessórios automotivos
  10. Alimentos e bebidas

No primeiro semestre de 2019, a Ebit indica que os produtos mais comprados via comércio eletrônico no Brasil foram os seguintes:

  1. Roupas e acessórios
  2. Perfumes, cosméticos e produtos de saúde
  3. Alimentos e bebidas
  4. Acessórios automotivos
  5. Brinquedos e jogos
  6. Produtos para animais domésticos
  7. Joias e relógios
  8. Móveis de escritório

Meios de pagamento

Segundo a Ebit, esses foram os meios de pagamento mais usados em compras de comércio eletrônico no Brasil em meados de 2019:

  • Cartão de crédito (67%)
  • Boleto bancário (19%)
  • Cartão de crédito emitido por um varejista (6%)
  • Outras formas de pagamento (8%)



A AMI adota uma metodologia diferente para realizar essa análise e, segundo a empresa, os meios de pagamento mais usados em compras de comércio eletrônico no Brasil foram:

  • Cartões de crédito (60%)
  • Boleto bancário (17%)
  • Carteiras digitais (14%)
  • Cartões de débito (3%)
  • Transferências bancárias (3%)
  • Outras formas de pagamento (3%)

Dispositivos usados para realizar compras
Os dados da Ebit indicam que os dispositivos móveis foram usados para fazer 42,7% dos pedidos de comércio eletrônico no Brasil em janeiro de 2019 e que, em junho, esses dispositivos responderam por 43,1% dos pedidos.

No entanto, os dados da Ebit não parecem desagregar o total de compras feitas com dispositivos móveis versus desktop em todo o ano de 2018 ou no primeiro semestre de 2019.


A análise da AMI indica a seguinte desagregação de dispositivos usados para realizar compras de comércio eletrônico no Brasil em 2019:

  • 57% das compras de comércio eletrônico no Brasil em 2019 serão feitas com um desktop
  • 43% das compras de comércio eletrônico no Brasil em 2019 serão feitas com dispositivos móveis

Projeções da AMI mostram uma mudança nesses percentuais até 2022:

  • 45% das compras de comércio eletrônico no Brasil em 2022 serão feitas com um desktop
  • 55% das compras de comércio eletrônico no Brasil em 2022 serão feitas com dispositivos móveis

Informações importantes sobre os hábitos dos consumidores

De acordo com dados da Ebit, esses são alguns dos fatores mais importantes a serem considerados em relação aos compradores brasileiros do comércio eletrônico:

  • 54% compram produtos com um único pagamento, enquanto 46% preferem parcelar suas compras
  • As mulheres representam a maioria dos consumidores de comércio eletrônico no Brasil, com 52,3%
  • No geral, 66% dos compradores brasileiros de comércio eletrônico têm mais de 35 anos
  • O frete grátis tem uma influência significativa nas compras on-line: 50% dos brasileiros dizem que se sentirão dispostos a comprar se o frete for gratuito
  • 47% dos brasileiros afirmam fazer compras em sites internacionais de comércio eletrônico,
  • Os sites internacionais em que os consumidores brasileiros de comércio eletrônico mais fizeram compras em 2018 foram Aliexpress, Wish, Amazon, Ebay e Banggood

Outros fatores a considerar

Análises da AMI oferecem outros dados importantes a serem considerados em relação às compras de comércio eletrônico no Brasil:

  • As vendas de produtos digitais no Brasil estão crescendo a um ritmo três vezes mais rápido que o do mercado de varejo
  • Os cartões de débito são o meio de pagamento que mais cresce em compras do comércio eletrônico no Brasil: crescimento anual de 19%
  • Problemas tecnológicos provavelmente estão refreando o crescimento do comércio eletrônico no Brasil: a internet brasileira é três vezes mais lenta que a média global e quatro em cada dez brasileiros afirmam ter uma conexão muito instável para fazer compras no comércio eletrônico
  • 60% das compras de comércio eletrônico realizadas no Brasil são parceladas (percentual superior ao informado pela Ebit/Nielsen)

Indo além

N°1 Para saber mais sobre compras on-line no Brasil, uma pesquisa recente da AMI pode oferecer informações valiosas. Clique aqui para obter um relatório sobre consumidores digitais brasileiros.

N°2 Nosso E-Commerce Datapack contém muitos dados sobre o Brasil. Clique aqui para descobrir como pedir uma cópia.

N°3 Para dados mais específicos, a AMI é especializada em pesquisas e inteligência de mercado para os mercados de comércio eletrônico do Brasil e da América Latina em várias áreas essenciais:

  • Identificar os principais meios de pagamento usados nos mercados de comércio eletrônico do Brasil
  • Ajudar comerciantes a entender o potencial do comércio eletrônico internacional no Brasil e as práticas que podem aumentar as vendas
  • Usar a inteligência artificial e o aprendizado de máquina para ajudar comerciantes de comércio eletrônico com foco no Brasil a analisar os dados dos seus clientes


Entre em contato conosco se sua empresa tiver necessidades específicas de dados, pesquisas de mercado ou inteligência de mercado em relação ao mercado de comércio eletrônico da América Latina ou de mercados específicos como Argentina, Brasil, Colômbia, Chile e Peru.

Recent Posts